Um iogurte sabor vagina

0 428
Category: Culinária, Sexy Written by: With: 0 Comments
Um iogurte sabor vagina

Você homem, filho de Deus ou não, já parou para pensar no quanto de inovação os tempos atuais nos oferece? No entanto muitas delas passam batido, ou porque não nos interessa ou não temos acesso, ainda mais quando o assunto é tecnologia. Mas isso está para mudar, ou já pode ter mudado. Tudo isso graças a uma americana chamada Cecilia Westbrook. Mas você sabe qual é sua criação?  Provavelmente não, pois você nunca chutaria que alguém fosse inventar um “Iogurte de Buceta”. Isso mesmo, iogurte de buceta.

Cecilia é uma cientista da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos e desenvolveu dois lotes do iogurte feito com bactérias vaginais, após ver um livro de receitas feitas com esperma, no entanto, ela não conhecia nada similar feito com alguma partindo da vagina. Foi justo ter tentado algo novo.

“De certa forma é tão óbvio e claro ser possível fazer iogurte de suas próprias floras naturais; Mas quem pensaria em fazer algo assim?”, disse Cecilia, animada com sua criação.

A feitura da iguaria se deu durante a noite, utilizando-se de uma colher de pau para coletar os ingredientes e fermentá-los posteriormente. Quando acordou, Cecilia provou a amostra do iogurte natural criado com a adição de mirtilo e descreveu como tendo sabor de iogurte indiano. Embora nunca tenha experimentado iogurte indiano, mas se realmente o gosto for parecido, com certeza deve ser bom.

“Toda vagina é o lar de centenas de tipos diferentes de bactérias e organismos”, disse uma amiga pessoal da cientista, Janet Jay. “As bactérias dominantes são chamadas de lactobacilos, também encontradas no leite, queijo e iogurte”, comentou.

Já Larry Forney, uma microbiologista da Universidade de Idaho, disse que a ideia não é tão boa assim. Além das bactérias consideradas boas para o preparo do iogurte, a vagina tem várias outras bactérias que podem não ser boas para consumo humano.

Mas e você, experimentaria o iogurte de “buceta”?

 

 

Fonte Mirror

 

Compartilhe!

Comments

comments

About the author